Resenha – Filme Possessão

ATENÇÃO:Sujeito a Spoiler se proseguir

Hello viciados em filme de terror, aqui estou eu novamente dando mais spoilers sobre filmes de terror. E para não bastar, este meu final de semana foi SHOW! Filmes a vontade, sobretudo os de horrores com sangue.

Mas vamos ao que interessa: POSSESSÃO! Sim, este foi o premiado deste sábado. Entretanto antes de dar minha nota, vamos aos spoilers:

Sempre que vou comprar algum filme de terror, deparo-me com capas bem coadjuvantes do conteúdo. E por este mesmo motivo, muitas vezes opto em não leva-lo, pois me deixo levar pelo ditado nunca julgue um livro pela capa, o que se torna em vão (mas sei que muitos de vocês também já deixaram de comprar um produto só porque ele tem menos desenhos e mais escritos em sua capa) e acabo fazendo o que o ditado não pede. E isso foi que aconteceu com o filme Possessão.

Muitos de vocês já viram esta palavra ser tema – como neste caso – ou até mesmo assuntos em diálogos nos filmes. E tudo isso pode-se aplicar a esta obra de Ole Bornedal.

Tudo se passa com ex casal Clyde e Stephanie, que acabaram de se divorciar. Tal coisa que deixou a filha mais nova Emily muito abalada.

Passando-se três meses, Clyde com o intuito de melhorar o relacionamento de si com as filhas, muda de casa e as leva para conhecer a nova moradia.

A princípios tudo ia perfeitamente. Mas durante um passeio pela vizinhança, eles descobrem um brechó e decidem dar um molhada nas coisas. Emily logo se sente atraída por uma caixa de madeira antiga, da qual não tinha abertura. Seu pai em seguida pergunta se ela queria alguma coisa e então ela responde que gostaria de levar a caixa.

Blá,blá nem preciso entrar em mais detalhes para vocês saberem que usando os adjetivos caixa, antiga, sem abertura são o suficiente para explicar que desde aquele dia, a vida daqueles três não foram mais as mesmas, que a caixa não presta! Emily começou a se comportar de maneiras esquisitas, respondendo de forma informal seu pai, e até mesmo seus colegas de escola (se me lembro bem, há um momento ela chega a da uma garfada na mão do pai, e age violentamente seu colega de classe), tudo por causa da caixa.

Clyde percebe o comportamento estranho da filha, ainda mais sua extrema preocupação com a caixa, começa a suspeitar que o que a menina tinha não era algo cientifico, ou mental, mas sim, algo oculto que tomou conta da garota.

Inseguro, ele roda em todos os lugares atrás de um especialista, para poder explicar o que havia deixado assim. Sua procurar não foi mutua: Conhece o professor McMannis e ao mostrar a caixa, o professor diz que o objeto era antigo, e que era uma espécie Dibuk (caixa, ou algo feito para prender demônios que em especial possuem os seres humanos). Depois das informações, Clyde já estava decidido de sua hipótese: Emily estava possuída.

Novamente ele rodou o mundo, atrás de alguém que pudesse tirar o demônio de sua filha. Durante seu percurso, encontra um padre, que voluntariamente o ajuda.

Nessas idas e vindas e horror e medo, Clyde descobre que dentro do Dybbuk, estava habitando Abisu (Abidun), uma espécie de colecionador de inocência/crianças.E dali por diante começa uma batalha ENORME para retirar o ser da garota.

Análise Final

Minha critica? Bem… Na verdade não gosto de filmes lentos, não sei e já mencionei. Possessão é um deles. No começo aparece uma cena de medo muito fraca, e tende a demorar para ter ação. Sem dizer que eles focaram muito no demônio na garota, e deixaram de explicar como o demônio veio parar no Dybbuk.

Mas o que realmente me intrigou por completo foi saber que Natasha Calis, (garota que interpreta Emily) fez um papel tão pouco ‘’normal’’, quero dizer, INCRÍVEL! Nem mesmo Ashley Sino fazia-o tão bem!

Compreendendo bem os fatos, minha nota ainda assim é um 9,1. Possessão superou para mim até mesmo The Last Exorcism, Possuída e A filha do mal. O tema “demônio que possui a garota” é bem explicado, dizendo como ele é (mas não como ele veio parar na caixa).

Com tudo, vale a pena assistir, recomendo e ele vai para minha lista favorável.

Esta é Natasha Calis (Emily) ‘-‘…Tipo…Nossa…